.fasolismo – a involução de um estilo

Caricatura do .faso, em coresSempre me indago sobre a forma que eu desenho – “como que eu cheguei a esse ponto de total desrespeito à anatomia?” – é uma das minhas perguntas mais correntes. Depois do comentário da Ana – em especial esse trecho:

“(…) mas eu acredito que por causa dos objetivos do .marca, a única coisa que poderá limitar seus traços é a impossibilidade de torná-los reprodutíveis no toy…

o seu desenho é o freio e o trunfo dos bonequinhos: dá para planejar antes o molde da costura e o trabalho que o toy vai dar para ganhar vida, ali, na cor do tecido, ou na expressão facial!”

Senti-me tentado a explicar um pouco sobre como cheguei a essas formas simples de desenho, o processo que eu batizei de .fasolismo – a involução do um estilo de desenhar.Bem, como alguns de vocês já sabem, fiz escola clássica de desenho por três anos (mais seis meses de desenho animado), mas isso não significa que o tio .faso saiba desenhar -pelo contrário- acredito que estou desaprendendo a desenhar depois de velho (como o Ziraldo está escurecendo com a idade -risos).

Voltando ao assunto, tudo começou quando eu entrei na internet pela primeira vez, em 1998. Como minha conexão era discada, só podia curtir as coisas simples da vida (texto e imagens leves). Foi também nessa época em que eu descobri as animações em flash, mas como tudo que era bom não era para minha conexão, eu não podia usufruir muito. Em meio a um monte de desenhos animados que eu não poderia assistir, encontrei o Mr. Man.

Mr. Man de Steve Whitehouse

Mr. Man de Steve Whitehouse (reprodução)

O Mr. Man é uma criação do animador canadense Steve Whitehouse. Ele é essa carinha amarelo e triangular. Suas histórias beiram o psicodelismo, não possuem falas, resumindo-se apenas a sonoplastias. Se a Samanta Cornflake me inspirou a desenhar e contar histórias mais e mais, foi com o Mr. Man que eu adquiri um estilo e um mestre (à distância).

A involução do tio .faso

Acredito que sou um dos primeiros a fazer isso – a contar a minha história ilustrativa através de caricaturas. Não sei se você compreenderá, mas ao menos será um processo interessante.

Fase 1 – clássico caricaturado
caricatura do .faso da primeira fase Uma das primeiras auto-caricaturas da minha pessoa. Fiz isso no Paint Brush. Eu tinha um desenho mais estilizado, mas não como hoje. Meu foco nessa época era a distorção da imagem, tornando-a menos realista, mas sem perder a características básicas para reconhecer a figura representada (detalhe: no chapéu há duas bundinhas e uma estrela – não me pergunte o motivo -risos)

O meu desenho era assim antes de conhecer o Mr. Man.

Fase 2 – a começando a simplificação
caricatura do .faso da segunda fase Aqui você já começa a perceber as influências do trabalho do Whitehouse. Meu traço se torna mais claro, limpo e geométrico. Sim, nessa época eu era meio sem gosto e usava essas plaquinhas de identificação de militares… vergonha…
Fase 3 – ou a entre fase
caricatura do .faso da terceira fase Esse é mais um desenho feito no Paint Brush. Acredito que foi a partir daqui que eu comecei a absorver melhor a influência do Whitehouse, mas ao mesmo tempo eu buscava um caminho próprio.

Detalhe que a boca foi gradualmente diminuindo, outra clara influência do Mr. Man.

Fase 4 – o vetor
caricatura do .faso da quarta fase Desde os meus 14 anos eu mexo com ilustração vetorial, que é um tipo de programa que você ilustra ligando pontos, moldando formas geométricas e brincando de copiar, recortar e juntar – é bem lúdico!

Em meados de 2004 eu comecei a trabalhar de forma mais séria com o vetor, mas após algum tempo, comecei a sentir o que o meu desenho estava muito travado, não tinha aquela organicidade que eu tanto gostava.

Fase 5 – fusão de técnicas
caricatura do .faso da quinta fase É nesse caminho que eu estou atualmente. Todos os meus desenhos são feitos a mão, em preto e branco. Deixo todas as imperfeições possíveis e imagináveis. Depois disso passo para o computador e o transformo em vetor, o que me permite colorir e testar várias combinações de modo mais prático.

Perceba que meu desenho ainda apresenta os volumes geométricos que aprendi com o Mr. Man, mas também há um total desprezo pela a anatomia (50% do .fasolino aí do lado é blackpower).

Agora o motivo para esse post

Vovólima sorrindoDurante muito tempo em busca de um estilo para ilustrar, percebi com o comentário da Ana que o desenho que eu venho adotando aqui, com a vovó e cia., é um retorno aos meus tempos de descoberta do Mr. Man, mas agora com um movito “nobre”: a produção de toys.

As formas que eu venho adotando no .marcamaria visam a reprodução fiel dos nossos tão queridos personagens. Elas são mais simples em alguns aspectos, justamente para possibilitar a produção em pano, mas como vocês vêem demonstrando, esse formato é carismático (apesar da falta de dedos e pés). Mas como tudo o que é novo, passa por micro-evoluções ou regressões.

No intuito de conseguir publicar diariamente, acabei simplificando demais os desenhos -o que me envergonha muito. A partir de agora vou relaxar menos e trazer material com mais qualidade, mais trabalhado e com mais efeitos.

Aliás, gostaria muito ler sua opnião sobre o que você gosta ou não. Algumas coisas que você gostaria de ver… enfim, o cantinho é de vocês e estou sempre pronto para atender melhor os minhas visitas! X)

Um grande abraço,

.faso

13 comentários sobre “.fasolismo – a involução de um estilo

  1. Lucas "Spider" disse:

    Olá faso!

    Que post interessante! Eu adoro ilustração, embora não seja um ilustrador hehehehe Mas espero um poder me dedicar nisso, pois gosto mesmo.

    Um dos pontos que me fez entrar e permanecer aki no .marca foi justamente seu estilo de desenho. Achei simples, mas direto na mensagem que queria passar. Pelo que você nos conta nesse post é visível sua influência no Whitehouse, entrei no site dele e achei as animações incríveis! Simples e diretas.

    ps.: tb usava corrente militar o/ heheheheheh

    Abraços!

  2. .faso disse:

    Opa Lucas!

    Bom te ver por aqui! Legar saber que esse é um dos motivos que te faz voltar aqui (espero que os outros seja as histórias e a troca de figurinhas entre nós! X) ).

    Sobre a influência do Whitehouse: foi uma amiga minha que me lembrou isso ontem… falou: “nossa! seu desenho lembra mesmo o Mr. Man!!” – só que eu acho que eu sou mais sujinho… hehehe coloco mais ruídos no desenho.

    Cara! Mr. Man é tudo de bom!!! O Whitehouse ficou com o site fora do ar um tempão (acho que ele foi morar na Coréia para trabalhar ou coisa do tipo) e só Há pouco tempo o site voltou ao ar – uma doce supresa!

    Que sabe um dia desses também não saem uns curtas-curtos da Vovólima?

    Ah! Quase me esqueci::a Aline dá graças da Deus por eu não usar mais esses “apetrechos” (risos)

    Um grande abraço,

    .faso

  3. Rodrigo van Kampen disse:

    Pode ser só uma opinião pessoa minha deste ser. Mas eu gostos dos seus desenhos simplificados. Porque parecem que mesmo com traços mais simples, eles conseguem captar e também transmitir a essência dos seus personagens, e isso é o mais importante.

    Eu fui pior. Eu usava um dragáo de prata pendurado no peito. XD

  4. Paula disse:

    Fasolino, querido! Achou que nunca mais eu ia dar as caras por aqui? rs Recebi seu e-mail e peço mil desculpas por não ter respondido. Com as provas finais e a mudança de estágio eu fiquei um pouco aérea e acabei esquecendo. Mas cá estou. E vou logo buzinar porque não quero vê-lo cometendo um erro.

    Que história é essa de melhorar a qualidade do material e dar mais efeitos aos desenhos? Eu fiquei danada quando o Maurício de Sousa começou a colocar sombra na capa dos quadrinhos da Turma da Mônica. Você chegou a ver? Os efeitos nos personagens foram muito mais sutis que os seus e mesmo assim eu não gostei. Acho que cada coisa deve ficar no seu lugar. É aceitável ver os quadrinhos da Marvel com efeitos especiais e papel brilhoso, mas os desenhos da .marcamaria têm que ser simples, sólidos, sem sombra ou esfumaçados. Você não precisa provar a ninguém que sabe desenhar do jeito das outras pessoas. Você tem um estilo próprio e que eu, particularmente, acho muito bom. Adoro o jeito como você deixa as cores vazarem, sem respeitar o limite do contorno dos bonecos. Gosto porque é simples e porque as cores são bem escolhidas. Gosto porque é você quem faz e faz com carinho, o que acaba refletindo no resultado final.

  5. .faso disse:

    Mila: ‘Brigadu! Estamos te esperando, heim?

    Rodrigo: Não tinha percebido isso que você falou:

    ” Porque parecem que mesmo com traços mais simples, eles conseguem captar e também transmitir a essência dos seus personagens, e isso é o mais importante.”

    Vou ficar sempre atendo a isso.

    Paula: Pode deixar que eu vou encerrar o contrato com o pessoal dos Efeitos Especiais – equipe de defeitos readmitida! XD


    Não sabia mesmo que a forma descompromissada e leve que eu faço os meus desenhos doidos agradavam tanto.

    Viu como é bom ter um retorno de vocês? Assim não me sinto tão perdido assim, entre os meus lápis e vetores…

    Um grande abraço a todos,

    .faso

  6. Lucas "Spider" disse:

    hehehehehe claro que essa interação única que me fez gostar de tudo aki! As ilustrações foram o pontapé inicial.

    Eu ainda tenho as ‘tags’ que usava no pescoço (bem guardadas hahaha), não nego meu passado rapper-modinha x)

  7. ana disse:

    oi faso!

    nunca imaginei que uma frase minha te levaria a viagens tão profundas ao fasolismo… mas vou dizer que adorei!

    concordo em 100% com a paula a respeito das cores vazadas: é muito fofo!

    ah! e se eu puder votar, prefiro os desenhos simples também…. quem se preocupari em mexer num time que está ganhando? limpar sujeira de traço que faz suceeso quando se há tanto mais para fazer….

    na verdade, eu quero ver os toys!! quando vão sair deste forno, hein? hein?

    e mais um livro de histórias, uns curtas, e quadrinhos, e papéis de carta, e adeseivos, e agendas e calendários da vovólima….

    abraços,

    ana!

  8. .faso disse:

    Ana,

    Seu comentário mexeu mesmo comigo! Foi bom fazer essa auto-análise do meu estilo. É legal saber de onde vim e para onde estou indo…

    Ô! Coloquei a foto nova do andamento da boneca da Vovó só para te acalmar! XD Não mostra muito, mas estamos quase lá!

    Nossa, quantas idéias maravilhosas essas as suas… tô anotando tudo! Só falta por em prática! Mas prometo que não demorará tanto como a boneca da Vovó!

    Um grande abraço,

    .fasim

  9. Pedro Márcio disse:

    Bom, ese post é antigo, mas adorei!
    A filosofada foi boa e…cadê o link do mr. man?

    A respeito dos teus traços, parabéns, cara. São muito bons. É um estilo próprio. Não tem que incrementar!
    Mas acho que uma vez ou outra você pode dar uma variada pra ver a reação dos visitantes.

    Mas, de verdade, são muito bonitos os toys!

    Como faço para conseguir um? Comprar? Manda por sedex? Qual o preço?

    =)

    Abração!

  10. .faso disse:

    Opa Pedro!

    Como não tem link do Mr. Man?!? Tá ali, logo na primeira frase abaixo da frame da animação!!!

    Cara! Obrigado pelo apoio! Ainda me sinto incomodado com o meu traço… sabe-se lá o por quê! XD

    Vou tentar seguir essa sua dica… variando o traço ajuda o escravo do lápis a evoluir!

    Sobre como adquirir um .marca: na próxima semana a loja virtual será aberta, eu te aviso por e-mail – ok?

    Um grande abraço,

    .faso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *