Aprimorando um sonho

Sabe quando você sente a necessidade de inovar? De fazer algo diferente do que você vem fazendo ultimamente? Pois bem, senti essa vontade louca de melhorar a vovó – não ela em si, mas a forma como eu a faço.

Quem já acompanha o blog há algum tempo, sabe que eu não sou lá muito chegado no meu desenho a mão, simplesmente por eu não conseguir manter uma proporção nas coisas que eu crio e não ir muito com a cara do meu traço (afinal, não sou um bom ilustrador). Como eu desenho de um modo não muito convencional (olhe a foto ao lado), acabo não olhando diretamente para a folha, o que causa alguns problemas de “falsa percepção” da minha parte e, por isso, resolvi “melhorar a técnica”.
A primeira coisa que eu tentei é passar o meu desenho para uma técnica 100% digital (o desenho da abertura do post é o resultado dessa técnica), o que me obriga a olhar sempre “em linha reta para o mesmo”. Então peguei um desenho da vovó e o refiz digitalmente no Inkscape.

A princípio, o processo é mais complicado, afinal todas as imperfeições e detalhes precisam ser reproduzidos em algo que foi feito para reproduzir coisas com precisão matemática. Descobri que o truque é “pensar torto”, evitando usar as ferramentas prontas do software.

Contornos da vovólima 100% digital

Contornos da Vovólima 100% digital

Muito das imperfeições criadas de propósito não serão percebidas por todos, mas garanto que se elas não existissem, vocês achariam o desenho estranho. Mas por mais que essa seja uma forma diferente de fazer a vovó, a principal vantagem (acredito eu) ainda não veremos agora: animação.

Em um modelo feito totalmente em vetor, fica mais fácil para animar os elementos da personagem, reduzindo tempo e custo da produção. Quero poder fazer uns curtas da vovó e suas estórias, e talvez esse novo formato ajude bastante.

E cadê o tio .faso bonequeiro?

Mas apesar de todos os desenhos e tecnologias, uma coisa faz falta no meu coração: fazer bonecos. Várias vezes eu penso em ilustrar as nossas histórinhas com fotos da vovó e da Fabine, tudo feito com bonequinhos, no estilo dos livros que eu não li na infância (não tinha aprendido a ler ainda) mas que me marcaram para sempre (clique nas imagens para ampliar):

Página do livro Página do livro

Só o que eu fico ponderando é:

  • Será que as pessoas reconheceram uma sacola ou desenho com a ilustra da vovó, depois de acompanhar tudo apenas com fotos dos bonecos
  • E todo o trabalho que tem na produção de cenários, bonecos, iluminação (coisa que eu não sei fazer ainda) etc. – vale a pena?
  • Passei a minha vida toda rodeado de bonecos, será esse um sinal de que eu devo seguir por esse caminho?

O que devo fazer? Ser mais prático ou sigo o meu coração? O que você buzina?

Um grande abraço,

.faso

4 comentários sobre “Aprimorando um sonho

  1. Paula disse:

    Gostei do resultado da Vovólima, .faso. Comparando ela com a antiga (ali, do ladinho direito, segurando uma plaquinha onde diz “um blog onde os posts viram toys”), dá pra notar algumas poucas diferenças. Todas pra melhor, claro. O formato da cabeça, agora mais parecido com uma bola de futebol americano, a levíssima curvatura dos óculos, o encolhimento das orelhas… enfim, aprovei tudo! Especialmente os traços da boca, mais retos, que a deixaram com um ar menos enrugado. Não sei se estou falando bobagem ou vendo pêlo onde não tem, mas, na minha visão de desconhecedora de desenho e sua criação, em geral, foram as coisas que me chamaram a atenção.

    A respeito das suas ponderações, por sua vez, tenho que dizer que adorei as ilustrações do livro que você trouxe pra ilustrar esse post. Quase dá pra pegar! E eu acho que as pessoas reconheceriam, sim, mas é difícil dizer se vale a pena ou não. É como perguntar se você gostou de determinado prato antes mesmo de provar. Como saberíamos? Por essa razão, digo para seguir o seu coração.

    Um beijo!

  2. .faso disse:

    Paula – É bem por aí mesmo, mas tem algumas coisinhas que só eu sei que existem, como uma lente maior que a outra, formato das mãos e tetinhas, fora o principal (o que eu mais errava) o corpo que ficou padronizado, bem gordim.

    Vou ver se sigo o meu coração, afinal tem horas que ele sabe o que temos que fazer.

    Julia – Mais uma pessoa comprovando que devo seguir o meu coração! X) Abração para senhora!!!

    Um grande abraço,

    .faso

  3. Diego Ferrari Bruno disse:

    Olá, Se você está esperando eu reclamar publicamente a falta de dedos na vovólima aqui está a reclamação formal! rs

    Como a vovólima se comunicaria com um surdo sem dedos?
    = P

    Sei lá se ela vai precisar saber língua de sinais um dia desses né.

    Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *