Como é difícil dizer não

Sabe quando você tem a dura missão de negar algo? Para piorar a situação, não foi nenhuma propaganda indesejada ou algo do tipo – foi uma idéia feita com o coração com um propósito nobre: criar sorrisos nesse Natal.

Em uma das listas de discussão que eu participo, um blogueiro (o Marcos Rodrigues) levantou a idéia de criar uma camiseta promocional de Natal que seria vendida para arrecadar fundos para comprar brinquedos para as crianças residentes em alguma instituição social. A proposta é linda, mas nessa discussão que ele iniciou, sugeriram que ele me procurasse (e o fez) para unirmos forças para impulsionarmos mais ainda o Projeto Natal Crafter (aqui, aqui e aqui). Seria um grande momento, se não fossem os detalhes. Antes comentar isso, gostaria de passar a minha visão sobre esse projeto que estamos fazendo.

Quando a Lais Graf surgiu com a idéia de doarmos brinquedos feitos por nós para crianças que não ganhariam nada nesse final de ano, não pensei duas vezes em abraçar a idéia, pois essa seria uma forma efetiva de nós podermos participar ativamente da mudança na vida das pessoas (algo que eu sempre preguei lá no .mundesign e que carrego aqui também). Nossa! Isso soa de forma tão perfeita: todos nós costurando brinquedos e os dando para criancinhas nesse Natal. Não era apenas dinheiro que seria dado ou um brinquedo pronto, mas recursos (financeiros, material e tempo) convertidos em amor em forma bonecal. Nossa maior recompensa pelo amor investido é saber que pelo menos uma criança iria se sentir especial e única por algo que fizemos. Não há preço que pague isso – e foi justamente por todos esses fatores que me vi obrigado a negar essa adesão do Marcos ao projeto.

Extraído da proposta dele, friso o seguinte:

Minha idéia inicial é fazer camisetas com estampas sobre a blogosfera e vender nos blogs que estiverem participando. Eu pensei nisso porque tenho parceria com uma estamparia que me repassa 30% de comissão sobre as vendas e é justamente estes 30% que vou repassar para doação.

Reafirmo que a idéia dele é maravilhosa, mas por causa daquele grifo que eu fiz, ela não se encaixa na proposta do Natal Crafter, que o próprio nome diz, é promover um natal “feito a mão”. Em outras palavras, a idéia que estamos praticando aqui é que nós, como pessoas, usamos os nossos próprios recursos para promover e concretizar o projeto. Gastamos dinheiro em ensumos, tempo e mais dinheiro para enviar os bonecos para um centralizador local responsável pela distribuição dos presentes. Se a estamparia que o Marcos mencionou doasse as camisetas para que pudéssemos vender e assim conseguir investir em outras coisas que não podemos fazer a mão (tipo bolas de borracha e outras coisas jogáveis), eu não pensaria duas vezes em aceitar a parceria com ele e já teria enviado os vetores do Daluli para fazer as camisetas, mesmo indo contra a proposta do projeto, mas esse “detalhe” de uma das partes da cadeia não estar colocando o seu coração, me fez tomar essa difícil decisão.

Posso estar parecendo rude ou prepotente, mas preciso seguir firme nesse ideal que muitos abraçaram. Nessas Festas de Final de Ano algumas crianças irão receber seus Dalulis, Oincs e Zumbigos todos feitos a mão por nós, com o nosso coração e amor – aquilo que essas crianças, que tem uma vida mais difícil do que podemos imaginar, merecem todos os dias do ano.

Um grande abraço,

.faso

Atualização: Para frisar qual é o ideal do projeto, basta ler o que eu anunciei aqui, um exemplo de uma oferta que me foi oferecida e prontamente bem vinda: o Oinc da Jana. Ela ofereceu um projeto dela (um boneco de meia) para o Natal Crafter e seguiu o mesmo modelo: pegou algo que ela sabe fazer e ensinou a outras pessoas como repetir o mesmo produto.

7 comentários sobre “Como é difícil dizer não

  1. Marcos Rodrigues disse:

    Talvez eu tenha falhado em comentar que estou conversando com a estamparia para conseguir de graça estas camisas… só ão divulguei ainda, pois estou querendo obter um feedback mais concreto.

    Se conseguir, posso contar com vocês?

    Abraços e parabéns pelo post, gostei de sua transparência.

  2. .faso disse:

    Opa Marcos,

    Como disse, aí sim a coisa muda de figura! Você conseguirá realizar o que você quer (arrumar $$ para comprar os brinquedos) ao mesmo tempo que nós doaremos os bonecos, usando a imagem do Daluli e do Projeto Natal Crafter como mote.

    Um grande abraço,

    .faso

  3. Marcos Rodrigues disse:

    Estou tentando uma conversa com a Hering, como eu trabalho com venda de publicidade eu tenho alguns caminhos que facilitarão estes projetos.

    Vamos fazer algo bem forte.

    Por exemplo: A muito tempo atrás uma agência que não me lembro o nome fez o seguinte projeto. Comprou dezenas de pares de sapatos, envio os pés esquerdos para uma instituição e os pés direitos para todos os envolvidos e convidados da campanha acompanhado de uma carta que dizia que ele era padrinho de uma criança e que se ele não o fosse visitar a criança iria ficar sem o sapato. Foi um sucesso a campanha, até porque todos os envolvidos e convidados levaram, além dos pés direitos dos sapatos, brinquedos, doces, salgados e bebidas…

    Quero usar este exemplo de sucesso para fazer um projeto que se torne anual.

  4. Elisa disse:

    Peguei o bonde literalmente andando. E como não vou ter tempo hoje de ler todos os posts, só afirmo aqui a minha solidariedade com o projeto.

    Posso contribuir com tutoriais de costura de alguma outra coisa útil para as crianças, como uma mochila para carregar o material escolar, estojos, etc. Acho a idéia dos bonecos muito interessante, mas confesso não gostar muito de fazê-los – questão de gosto pessoal, tá?!

    Onde eu entro? rsrrsrss ;-)

    Um beijo e parabéns a todos pelo(s) lindo(s) projeto(s)!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *