Botões e retículas

Botões acordando - arte final usando retícula digital

Uma coisa que eu tenho feito muito ultimamente é não passar vontade. Sempre fiquei me podando e freiando minha vontade de criar, o que me deixa muito frustado e que me faz ficar com problemas para dormir há bastante tempo. Quase dez meses para ser correto. Hoje não foi diferente, tanto que só consegui pregar os olhos lá pelas sete da matina.

Nesse rala e rola pela minha cama, fiz um mini flash back da minha vida desenheira:

  • Gostava do estilo japonês de desenho, principalmente por causa das expressões emocionais e arte final;
  • Fui muito influenciado pelo estilo cartoonizado dos desenhos animados;
  • Não me dou bem com técnicas de pintura manual. Sim, eu desisto!;
  • Meu estilo próprio é muito minimalista. Não adianta eu querer fazer algo que não condiz com o que sai naturalmente do meu lápis.


Por mais que eu goste de trabalhar com hachuras (aqueles risquinhos pretos que se faz no desenho para passar a impressão de luz e sombra), meu desenho é muito limpo e só mostra o necessário. Com cores chapadas eu consigo dar o volume que me apetece, mas no preto e branco (a única forma viável que eu possuo para impressão dos meus mini-livros), as cores não são possíveis e sempre acabo deixando o meu traço sem as nuances que eu gosto.

Mas como eu disse lá em cima, na madrugada acordada eu pude futricar nos meus feeds e acabei revendo o excelente trabalho do Eduardo Medeiros (Hellatoons). Eu usa e abusa de tons de cinza e retícula, sendo essa última uma coisa que eu não via desde a minha infância.

Acredito que ele não use retículas de verdade (e nem sei se isso ainda existe), mas os nossos queridos programinhas de edição de imagem possuem esse recurso. Com tudo isso nas mãos fiz essa pequena ilustra que abre o post. É uma personagem de um conto que escrevi em 2008 2009 – a Botões. Nessa versão ultra mega ampliada, você poderá ver os efeitos de retícula que consegui usando o Gimp. Sei que é um efeitinho manjado, mas para mim é A solução para alguns dos meus problemas.

Hei de brincar mais com isso.

Um super abraço,

tio .faso

5 comentários sobre “Botões e retículas

  1. Eder Modanez disse:

    Hey!
    Muito bom este desenho – tanto a idéia quanto o desenho – e gosto desta simplicidade que seus desenhos têm (e os meus não), mas é como você disse, não há como lutar contra isso… o que sai das nossas mão é mais forte. (risos)

    Experimentar é preciso! Quanto mais experimentamos, melhoramos um pouco mais. A propósito, recebi na semana passada a nova Computer Arts Projects, e esta edição é somente sobre criação de personagens, com um texto do Hiro, na última página… confira!

    Abraços

    • Tio .faso disse:

      Eder – estou tendo que aceitar que por mais que eu goste de coisas feitas e ogrentas, meus desenhos não me permitem tal feito. É linha clara pueril minimalista! X)

      Realmente esse negócio da experimentação (que incentivavam na faculdade, mas que eu não tinha tempo de brincar) é maravilhoso. Só queria poder fazer bonecos na mesma velocidade que desenho. X

      Vou lá procurar a revista! Obrigado pela dica!

      Abraços,

      tio .faso

  2. Eduardo Medeiros disse:

    Muito obrigado pela citação aqui, fico feliz que tu goste do meu trabalho.
    =)
    As retículas que eu uso, eu as faço no photoshop mesmo, até tenho umas retículas adesivas do tempo em que meu pai tava na faculdade e acabou guardando por anos em casa. Mas ainda não as usei, talvez um dia.

    abração!

  3. Ila Fox disse:

    Tio Faso,
    Sou que nem você, também acho bonito aqueles desenhos cheios de hashuras, pintados em tecnicas convencionais… mas aiaiai, não é pra mim! meu traço sempre será neste estilo mais leve, limpo e colorido! :D

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *