Aniversário de um palmo de você mesmo

Primeiros mini-mis feitos, em 2008

Primeiros mini-mis feitos, em 2008

Há exatos 9 anos eu olhei para uma bolacha maizena quebrada e vi ali o formato de um bonequinho.

Daquela maizena quebrada superei o primeiro fracasso como empresa e pude me tornar o bonequeiro que sou hoje.

Foi por causa daquela bolacha que eu consegui alugar pela primeira vez um imóvel – uma salinha comercial quente e abafada na Avenida Pedroso de Morais e que passei a viver integralmente dessa coisa doida de fazer bonecos.

É por causa daquela coisa que eu estava comendo no café que eu me descobri, cresci, fui parar na TV, fiz meu cursos online e presencial, dei e dou palestras sobre viver de um sonho.

Parabéns aos mini-mis pelos seus 9 anos de vida e obrigado a todo mundo que divulgou, virou um bonequinho e quer virar um (é só clicar aqui)

Como um palmo pode mudar a vida

mini-mi (mi.ni.mi), do Austin Powers “mini me”.

adj. bonequeiro – 1. um palmo versão de você mesmo; 2. boneco caricatural de pano; 3. seu mini-ego portátil.

—-

Quando uma necessidade vira uma idéia que consegue transformar uma empresa e como ela projeta o seu futuro. Ou como uma pequena idéia pode mudar a vida de uma pessoa e transformar o seu sonho em algo real.

Continuar lendo

Uma tabelinha monstrual

Monstruação: o monstro da menstruação

Há uma lenda muito antiga que relata a aparição de um ser mágico tão antigo como o homem na Terra. Ele surge a cada mês e sua presença é sempre recebida com alerta e atenção – em alguns momentos sua fúria é imensa, causando pavor em todos os homens por perto. Quando triste, não há nada no mundo que o console.

Assim como o Saci e o Preto Velho, para acalmar o seu espírito é preciso fazer algumas oferendas, como dar chocolates, elogiar suas roupas, presentear com mimos, não comentar sobre sua forma física ou simplesmente afagar o seu ego; aliás, dizem que um dos melhores remédios para evitar problemas é evitar confrontos diretos ou ficar muito quieto.

Mas a convivência com esse monstro é uma coisa muito engraçada: o prenúncio da sua chegada causa arrepios em que está ao seu redor, mas quando ele se atrasa -ou pior, não vem- as pessoas entram em desespero por causa da saudade.

É assim todo mês. Ele vem e vai embora. Alguns sofrem com ele, outros nem tanto, mas no final todos conseguimos conviver com o Monstruação.
Continuar lendo